Missão Nova Visão ♫ Web Rádio Católica

quinta-feira, 10 de maio de 2018


Paz e Luz Irmãos e Irmãs, Amados e Amadas

Venho convidar a todos para mais uma edição de nosso Barzinho de Jesus, esta é a 7ª edição em 2 anos no qual iniciamos e como será no mês de Maio, mês Mariano é claro que o Tema não poderia ser outro a não ser voltado a Nossa Senhora; #Cristoteca Magnificat !
Será uma noite de muito Louvor e Oração levando para nossas Famílias a verdadeira alegria que o mundo não pode oferecer, a alegria que vem do alto, que vem de Deus.
O evento tem o nome de Barzinho de Jesus em homenagem aos eventos que aconteciam a mais de 20 anos atrás em nossa Paróquia onde o nome Barzinho se faz sentindo porque neste Barzinho saímos embriagados do Espírito Santo de Deus ao contrário dos do mundo que são verdadeiros motivos de destruição de lares por vender e incentivar o uso de bebidas alcoólicas.
Contaremos com a Presença do DJ Adriano da Missão Nova Visão liderando a pista de Dança, o Ministério Mah Galaad agitando a galera com muito louvor e Adoração ao Santíssimo Sacramento, sem contar com nossa área de alimentação e os famosos Cristo Drink's (sem álcool).
Em um tempo difícil que vivemos onde cada vez mais nossos jovens tem se perdido nos lixos do mundo eis que surge uma luz onde podem se encontrar verdadeiramente com Jesus e reconhecer tamanho valor que tem e o quanto são amados.
Venha viver esta experiência conosco !

Junte os Jovens de sua Paróquia e toda sua Família !

Maiores Informações pelo WhatsApp 11 98173-0803


Chamada em Vídeo no Youtube:
https://www.youtube.com/watch?v=pz5Mq2DTraY&t=27s





terça-feira, 8 de maio de 2018

Bebidas alcoólicas estão proibidas em eventos da Igreja Católica




Há alguns anos a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) vem defendendo a tese de que cada diocese restrinja ou até proíba a comercialização e consumo de bebidas alcóolicas nos ambientes da Igreja Católica. 

O debate ganhou mais força em 2014. Na Diocese de Palmas-Francisco Beltrão, o assunto foi proposto pelo bispo na época, dom José Antônio Peruzzo (2005 a 2015), que redigiu um texto enaltecendo os motivos de colocar em prática tal ação. Nos últimos dois anos, as comunidades, paróquias e padres tiveram tempo para conscientizar e ampliar o debate. 

Assim, desde o dia 1° de janeiro deste ano, entrou em vigor o decreto que proíbe a comercialização e o consumo de bebidas com teor alcóolico em todos os eventos promovidos pelas paróquias e comunidades da Diocese, sem exceções, incluindo festas, jantares, almoços, festividades e noites culturais. 

Para o bem das famílias
O bispo diocesano dom Edgar Xavier Ertl, que assinou o decreto, justifica que "o objetivo principal era sobre os malefícios que as bebidas alcoólicas causam nas pessoas, principalmente nas famílias". Dom Peruzzo, na sua sabedoria, juntamente com o clero, deixou o decreto pronto. Ele ficou na vacância, à sombra das preocupações da Diocese, mas quando assumi a Diocese, no ano passado, demos uma importância e foi decidido que em 2017 fosse ainda conhecido e refletido pela comunidade".

O vigário geral da diocese, padre Geraldo Macagnan, reforça que a intenção da decisão é conter os exageros e fazer com que as festas das comunidades sejam familiares, sem interferência da bebida alcoólica e seus prejuízos. "Quando a bebida está à frente, rompe com a questão de convivência e é culpada por acidentes, agressões familiares e até problemas econômicos. Temos consciência disso e não queremos ser responsáveis por proporcionar esses ambientes", afirma o padre. 

Contrato de moderação em alguns casos
A igreja possui vários pavilhões, os quais são muito utilizados por empresas, entidades e pessoas para realização de eventos diversificados. Para o coordenador da Ação Evangelizadora na diocese, padre Emerson Detoni, "nos eventos que não são promovidos pela igreja católica, mas são cedidos para casamentos, batizados, datas comemorativas, pedimos que, na medida do possível, não haja o consumo". 

É o que determina o artigo 2° do decreto: "Quando for cedido, emprestado ou locado o espaço físico da Igreja para celebrações de festas de casamentos, batizados, bodas, festas familiares, datas natalícias e afins, recomenda-se que sejam feitos sem o consumo de bebidas alcoólicas, conforme orientação e conscientização da Igreja". 

Se, mesmo assim, houver o consumo, "quem promove o evento assume o compromisso formal (contrato) de manter a moderação no uso de bebidas alcoólicas bem como a responsabilidade de manter a ordem em todo o ambiente e assumir os danos de qualquer natureza", rege o parágrafo único do mesmo artigo.

Conscientização precisa acontecer
Aproximadamente 1.200 comunidades estão ligadas ao catolicismo na região Sudoeste. O trabalho de fiscalização e orientação cabe a cada Paróquia. "Vai depender muito do padre que estará à frente para acompanhar, formar os leigos. Uma comunidade existe em comunhão com a igreja como um todo. A partir do momento que a comunidade quebra a comunhão com a igreja, ela deixa de existir", defende padre Detoni.

Para o bispo dom Edgar, tudo vai depender de conscientização e adaptação. "Daqui dois anos a população, em especial os católicos, estarão nos agradecendo pela iniciativa e coragem. As nossas festas serão alegres no mesmo modo. Com essa diferença, vamos sentar à mesa, nos encontrar sem consumir bebidas alcoólicas", destaca.

Padre Geraldo também acredita que haverá resistência e incompreensão no início, "mas é uma questão de tempo e também de compreensão do real sentido deste decreto, aí os benefícios serão certamente percebidos com o passar do tempo". 

Fonte: https://www.google.com.br


segunda-feira, 7 de maio de 2018

No dia 13 de Maio de 1917, enquanto o mundo vivia a primeira guerra mundial, Nossa Senhora aparecia pela primeira vez a três pastorzinhos em Portugal. Durante as seguidas aparições, sempre no dia 13 de cada mês, falou sobre a necessidade da conversão, da oração do terço e de não ofender mais a Deus. Essa é uma das devoções marianas de maior expressão. O que ela pode, ainda hoje, nos enriquecer?

Uma constante na vida de Maria, que possui raízes nos Evangelhos e que podemos ver nas diversas devoções marianas, é a centralidade de Jesus em sua vida. Maria nunca aponta para si mesma como fim, sempre nos faz olhar para Jesus. Isso aconteceu nas bodas de Caná, quando ela diz “fazei o que Ele vos disser”, e acontece em cada Santuário Mariano, onde o central é sempre a Missa, ou seja, Jesus Eucarístico.
Milhares de pessoas passam todos os anos em Fátima e lá se encontram, pelos braços de Maria, com Jesus. Nos santuários marianos se pode perceber de maneira privilegiada como Maria continua cumprindo sua missão de Mãe. Se percebe claramente como ela acolhe todos seus filhos e os apresenta ao seu Primogênito. Em um certo sentido, quanto mais olhamos para a Mãe de Jesus, melhor olhamos para Jesus. E é exatamente esse o desejo de Nossa Senhora, que conheçamos cada vez melhor o seu Filho.

Nota-se também, pelas mensagens em Fátima, a grande preocupação de Nossa Senhora por cada um de nós. Seja pelo olhar bondoso nas aparições, seja também pelo chamado à conversão que faz intensamente, seja ainda pela tristeza que manifesta ao dizer que Deus é muito ofendido. Se podemos resumir tudo isso em apenas uma sentença, diria que Maria nos quer junto a Deus e sofre quando nos afastamos dele.
De maneira especial ela pediu que rezássemos o terço, ela mesmo se apresentou aos pastorzinhos como a Senhora do Rosário. Essa é uma oração muito especial pela qual contemplamos a Jesus pelos olhos de Maria. O então Papa Bento XVI disse no santuário de Fátima o seguinte: “A oração do terço permite-nos fixar o nosso olhar e o nosso coração em Jesus, como sua Mãe, modelo insuperável da contemplação do Filho”. Muito se escreveu e se refletiu sobre essa oração, e nós, católicos, a temos como uma arma poderosa contra os ataques a nossa fé. Com certeza não sabemos todo o bem que é feito e o mal que é evitado quando rezamos devotamente essa oração.
Estamos nos aproximando dos 100 anos das aparições da Cova de Iria, em 2017. Ano em que também celebraremos os 300 anos do achado da Imagem de Nossa Senhora Aparecida, no Rio Paraíba. Nesse ano especial vamos celebrar todas as graças que nos vêm de Deus por meio de Maria. Sobretudo a graça de ter uma Mãe tão zelosa pela nossa salvação, que nos acompanha diariamente em nossas lutas, mesmo que sua presença seja muitas vezes silenciosa e imperceptível. Que possamos nos aproximar cada vez mais de Maria, sem medo de que ela tire o espaço devido a Deus, porque tudo o que ela faz é nos levar a um encontro mais profundo com Ele mesmo.

Fonte: www.a12.com


quinta-feira, 26 de abril de 2018


Canção Nova celebra os 20 anos do Acampamento PHN (Por hoje não vou mais pecar) 

Com grande alegria, a Comunidade Canção Nova, convida você, jovem, para celebrar os 20 anos do Acampamento PHN. A comemoração acontecerá de 18 a 22 de julho, na sede da comunidade, em Cachoeira Paulista (SP).

O evento contará com a presença de: padre Adriano Zandoná, padre Fábio Camargos, padre Marcelo Rossi, padre Mário Sartori, padre Paulo Ricardo, Alexandra Gonçalves, Astromar Miranda, Dunga, Emanuel Stênio, Magda Ishikawa, Pitter, Tiba e Tiago Marcon. Shows com Adriana Arydes, Dunga, Eliana Ribeiro, Emanuel Stênio e Missionário Shalom.



segunda-feira, 23 de abril de 2018


O mês de abril foi selecionado para, todos os anos, celebrar o mês de conscientização da população para a Prevenção da Cegueira – diagnóstico, tratamento precoce e reabilitação. E o chamamos de abril marrom. Esse nome vem se consolidando no calendário de temáticas de saúde para a conscientização sobre o problema. O ‘Abril Marrom’ é um alerta para a prevenção de doenças que causam cegueira.
A cegueira atinge, atualmente, cerca de 1,2 milhão de pessoas no Brasil. Cerca de 60% das doenças oculares que causam cegueiras são tratáveis. Se a pessoa tivesse chance de um diagnóstico e um tratamento precoce, ela poderia não estar cega. E também cerca de 85% da nossa comunicação com o mundo exterior se dá através dos olhos. Eles são um patrimônio muito precioso, mas não são tratados com a devida atenção. Isso precisa mudar.
Considerando que 80% dos casos de cegueira são evitáveis e/ou tratáveis, significa que quase 700 mil brasileiros cegos poderiam estar enxergando caso tivessem sido tratados a tempo. Essas ocorrências poderiam ser evitadas se a população consultasse um oftalmologista pelo menos uma vez ao ano.
As doenças caminham silenciosamente e as pessoas só procuram o médico quando já perderam parte da visão. Neste momento, o problema já está em estado avançado e os tratamentos nem sempre recuperam a visão. A população precisa ficar alerta e ter interesse em se cuidar. É preciso procurar o oftalmologista para fazer exames e detectar possíveis doenças. Diabéticos, crianças, adultos acima de 40 anos e idosos acima de 60 anos devem ter ainda maior atenção aos cuidados com a visão. Ter informações a respeito das doenças que podem levar à cegueira é o primeiro passo para a população adotar medidas preventivas.
Dentre algumas das doenças que podem levar à cegueira, algumas são bastante frequentes no cotidiano da população, mas bastante negligenciadas devido à falta de conhecimento sobre as suas consequências em longo prazo. As doenças mais comuns que podem causar cegueira são:

Catarata

Doença caracterizada pela perda de transparência (opacidade) do cristalino (lente localizada atrás da íris), a catarata pode ser classificada como secundária ou senil. A catarata secundária pode estar relacionada a inúmeros fatores, tanto oculares quanto problemas sistêmicos; a catarata senil ocorre devido ao envelhecimento natural do cristalino. Segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, 85% das cataratas são classificadas como senis, com maior acometimento na população acima de 50 anos.
Por se tratar de uma doença progressiva, somente a facectomia, cirurgia de substituição do cristalino, gera resultados efetivos e definitivos para a recuperação da visão.
Ao notar qualquer sinal de embaçamento na visão, dificuldade para dirigir à noite por conta do brilho dos faróis, visão com feixes de luz e sensação de melhora da visão ao aproximar os objetos, com piora logo em seguida, é necessário buscar ajuda do oftalmologista.

Retinopatia Diabética

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, a doença atinge mais de 15 milhões de brasileiros. Se não for tratada corretamente, pode interferir diretamente na função dos vasos sanguíneos que levam sangue e oxigênio para as células da retina, desencadeando a retinopatia diabética, com evolução para a cegueira.
Trata-se de uma doença assintomática no início. Porém, em estágio avançado, surgem alterações visuais súbitas e indolores. Para não ter de chegar a este estágio, é importante que os portadores de diabetes visitem regularmente o oftalmologista para realizar o mapeamento de retina, além de manter o diabetes sob controle.
O tratamento para retinopatia diabética, junto com o controle do diabetes, impede sua evolução, tornando o diagnóstico precoce fundamental para impedir a perda de visão. É composto por medicamentos ou procedimentos cirúrgicos. A terapia mais recente e inovadora no momento é a aplicação injetável intravítreo de dexametasona, recentemente incluída no ROL da ANS.

Glaucoma

Essa doença desafia a medicina e é a principal causa de perda irreversível da visão. E isto se deve ao fato de o glaucoma ser silencioso. Quando surgem os primeiros sinais, o risco de o paciente ter importante perda da visão é iminente e definitivo.
Resumidamente, a doença surge quando o nervo óptico (uma espécie de fio telefônico com mais de um milhão de fibras) começa a apresentar danos. A informação deixa de percorrer de forma correta o trajeto entre o olho e o cérebro. De maneira gradual, lenta e imperceptível, surgem “pontos cegos”, que só serão percebidos depois de um dano considerável. Quando todo o nervo é destruído, ocorre a cegueira, que é caracterizada por danos no nervo ótico que podem levar à perda total de visão devido ao aumento da pressão intraocular (PIO). Como o nervo ótico é o responsável por levar as informações que vemos ao cérebro, qualquer dano nessa região pode interferir na qualidade da visão.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que 1 a 2% da população acima de 40 anos é portadora de algum tipo de glaucoma, que causa cegueira irreversível.
Campanhas informativas como a do Abril Marrom são importantes para a promoção de conhecimento da população para que ela entenda a importância da consulta anual ao médico. A regularidade nas consultas é o modo de prevenção mais efetivo, bem como o compromisso com o tratamento quando uma doença é diagnosticada.


Programação

24hs de Música
+
09h00
15 Min com Deus

15h00
Terço da Misericórdia

18h00
Terço Mariano

21h00
15 Min com Deus

03h00
Terço da Misericórdia

JMJ Panamá 2019

JMJ Panamá 2019
Site Oficial

N.Sra. das Graças

N.Sra. das Graças
Derramai todas as graças necessárias para nossas vidas !

Curta nossa Página !

Solidariedade

Tecnologia do Blogger.
Missão Nova Visão, Levando LUZ onde se encontra escuridão !

Receba Nossas Matérias !

Cadastre seu E-mail e Receba nossas Notícias e Novidades!


Nova Visão

Deixe um Recadinho

Testemunho / Adriano do Nascimento

Para as Crianças

De Olho na Dica - Filme

De Olho no Lançamento