quarta-feira, 13 de maio de 2015

37.1 Pentecostes dia da efusão do Espírito Santo
§696 O fogo. Enquanto a água significa o nascimento e a fecundidade da Vida dada no Espírito Santo o fogo simboliza a energia transformadora dos atos do Espírito Santo O profeta Elias, que “surgiu como um fogo cuja palavra queimava como uma tocha” (Eclo 48,1), por sua oração atrai o fogo do céu sobre o sacrifício do monte Carmelo, figura do fogo do Espírito Santo que transforma o que toca. João Batista, que caminha diante do Senhor com o espírito e o poder de Elias” (Lc 1,17), anuncia o Cristo como aquele que “batizará com o Espírito Santo e com o fogo” (Lc 3,16), esse Espírito do qual Jesus dirá “Vim trazer fogo à terra, e quanto desejaria que já estivesse acesso (Lc 12,49). É sob a forma de línguas “que se diriam de fogo” o Espírito Santo pousa sobre os discípulos na manhã de Pentecostes e os enche de Si. A tradição espiritual manterá este simbolismo do fogo como um dos mais expressivos da ação do Espírito Santo Não extingais o Espírito” (1Ts 5,19).
§731 No dia de Pentecostes (no fim das sete semanas pascais), a Páscoa de Cristo se realiza na efusão do Espírito Santo, que é manifestado, dado e comunicado como Pessoa Divina: de sua plenitude, Cristo, Senhor, derrama em profusão o Espírito.
§1287 Ora, esta plenitude do Espírito não devia ser apenas a do Messias; devia ser comunicada a todo o povo messiânico. Por várias vezes Cristo prometeu esta efusão do Espírito, promessa que realizou primeiramente no dia da Páscoa. e em seguida, de maneira mais marcante, no dia de Pentecostes. Repletos do Espírito Santo, os Apóstolos começam a proclamar “as maravilhas de Deus” (At 2,11), e Pedro começa a declarar que esta efusão do Espírito é o sinal dos tempos messiânicos. Os que então creram na pregação apostólica e que se fizeram batizar também receberam o dom do Espírito Santo
§2623 NO TEMPO DA IGREJA
No dia de Pentecostes, o Espírito da promessa foi derramado sobre os discípulos, “reunidos no mesmo lugar” (At 2,1), esperando-o, “todos unânimes, perseverando na oração” (At 1,14). O Espírito, que ensina a Igreja e lhe recorda tudo o que Jesus disse, vai também formá-la para a vida de oração.
P.37.2 Pentecostes dia da manifestação pública de Jesus
§767 “Terminada a obra que o Pai havia confiado ao Filho para realizará na terra, foi enviado o Espírito Santo no dia de Pentecostes para santificar a Igreja permanentemente.” Foi então que “a Igreja se manifestou publicamente diante da multidão e começou a difusão do Evangelho com a pregação”. Por ser “convocação” de todos os homens para a salvação, a Igreja é, por sua própria natureza, missionária enviada por Cristo a todos os povos para fazer deles discípulos.
§1076 A ECONOMIA SACRAMENTAL No dia de Pentecostes, pela efusão do Espírito Santo, a Igreja é manifestada ao mundo. O dom do Espírito inaugura um tempo novo na “dispensação do mistério”: o tempo da Igreja, durante o qual Cristo manifesta, toma presente e comunica sua obra de salvação pela liturgia de sua Igreja, “até que ele venha” (1 Cor 11,26). Durante este tempo da Igreja, Cristo vive e age em sua Igreja e com ela de forma nova, própria deste tempo novo. Age pelos sacramentos; é isto que a Tradição comum do Oriente e do Ocidente chama de “economia sacramental”; esta consiste na comunicação (ou “dispensação”) dos frutos do Mistério Pascal de Cristo na celebração da liturgia “sacramental” da Igreja. Por isso, importa ilustrar primeiro esta “dispensação sacramental” (Capítulo I). Assim aparecerão com mais clareza a natureza e os aspectos essenciais da celebração litúrgica (Capítulo II.).
P.37.3 Pentecostes dia da plena revelação da Trindade
§732 Nesse dia é revelada plenamente a Santíssima Trindade. A partir desse dia, o Reino anunciado por Cristo está aberto aos que crêem nele; na humildade da carne e na fé, eles participam já da comunhão da Santíssima Trindade. Por sua vinda e ela não cessa, o Espírito Santo faz o mundo entrar nos “últimos tempos”, o tempo da Igreja, o Reino já recebido em herança, mas ainda não consumado:
Vimos a verdadeira Luz, recebemos o Espírito celeste, encontramos a verdadeira fé: adoramos a Trindade indivisível, pois foi ela quem nos salvou.

- Fonte: http://www.franciscanos.org.br


Não Percam !!!

Tarde de Pentecostes em Guarulhos-SP com a presença da cantora Aline Brasil, venha experimentar você também o poder de Deus !

Anuncie também seu evento encaminhando para > radionovavisao@ymail.com

Missão Nova Visão somando na Evangelização !




terça-feira, 12 de maio de 2015


Aparecida – o Milagre narra uma história de transformação, superação e reencontro de um homem – com a família, com o filho e, sobretudo, consigo mesmo, através da fé em Nossa Senhora Aparecida – a Padroeira do Brasil.

Vale a pena assistir !!!


segunda-feira, 11 de maio de 2015

Que projeto é esse?
– Mostrar ao mundo que Deus existe!
E como mostrar que Deus existe?
-Mostrando as pessoas que somos de Deus, que pertencemos a Deus! Mostrando que somos diferentes nas opções que fazemos e em nosso jeito de ser! Pois estas opções que faremos e o nosso jeito de ser, despertarão a curiosidade das pessoas para saberem o por quê agimos de “tal” forma, o por quê reagimos de “tal” jeito! E é nessa hora que apresentaremos Deus à estas pessoas… As pessoas olharão para mim e para você e certamente dirão: “Ele(a) é diferente…” Este nosso ser diferente APONTARÁ para Aquele que nos inspira agirmos assim!
Por isso decidi escrever 3 passos que podemos dar para que sejamos ainda mais homens e mulheres de Deus e para que Deus se torne mais conhecido através do nosso comportamento!
1o Passo: Preciso rever os lugares que frequento!
Os lugares que frequento revelam de mim um pouco daquilo que sou; aquilo que estou de acordo, revelam um pouco da minha aprovação sobre este lugar!
Não estou dizendo aqui de lugares onde vou com o intuito de Evangelizar, pois Jesus também visitou a casa de muitos pecadores e com eles fez a refeição…
Mas estou dizendo dos lugares que você tem frequentado na intenção de lá buscar algo, de lugares que você esta indo para encontrar alguém, de lugares que você tem frequentado na intenção de se divertir e distrair!
Lugares que não convém para uma pessoa de Deus estar, lugar este que sempre nos ajudarão cair em pecado! Você já deve estar imaginando aqueles lugares que você esta acostumado a ir e que faz de você uma pessoa igual a qualquer outra que esta lá dentro! Vivendo as mesmas realidades, tendo as mesmas atitudes…Existe lugares que sempre vão nos inspirar algo ruim, independente se lá está se fazendo algo ruim ou não! Existem lugares que são assim mesmo por natureza!
Estes tipos de lugares você não pode mais frequentar! São Paulo já nos dizia: “Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém!” (ICor 6, 12)
Portanto o primeiro passo é rever os lugares que frequento!
2o Passo: Preciso rever as pessoas com quem me relaciono!
É exatamente isso! Preciso olhar para as pessoas nas quais eu tenho me relacionado e checar se estas pessoas me ajudam ou me tiram do caminho que Deus tem para mim! É incrível notar que existem pessoas em nossa vida que tem sobre nós uma força de nos arrastar ao erro e ao pecado! Começamos a perceber que quando estamos diante de tal pessoa ela sempre traz para fora aquilo que temos de mais ruim; mas não é aquele algo ruim que podemos chamar de “inofensivo”. Mas é aquele algo ruim que nos leva a cair no pecado!
Existem pessoas a nossa volta que é somente estar com ela que começamos com certos linguajares, é somente nos encontrarmos com determinadas pessoas que entramos em conversar cheias de malícia, conversas fúteis e coisas assim! São este tipos de pessoas na qual precisamos rever o nosso convivio! Pois se não conseguimos de alguma forma mostrar a elas, pelo nosso modo de vida, que somos de Deus e somos diferentes; não podemos correr o risco de nos perder também por causa delas! E isso não é falta de caridade ou algo assim! É questão de salvação!
Devemos tentar mostrar a estas pessoas o caminho correto, o que é bom, mas o que nao podemos é deixar que aquilo que ela vive de errado nos contagie! Se não conseguimos ficar ao lado dela sem cair em pecado, se afaste um pouco, não tenha medo! É claro que aqui entra a caridade, a discrição, o discernimento, a prudencia e etc…
Mas para mim a questão é: Se eu não consigo contagiar tal pessoa com a presença de Deus, não posso me deixar contagiar pelas coisas erradas que ela me inspira a fazer!
Somente um exemplo simples: Tem uma pessoa que é próxima a mim, mas que todas as vezes que eu chegava próximo à esta pessoa ela caçoava de Deus! Por mais que o meu comportamento mostrasse que eu era diferente das coisas que tal pessoa me propunha e me inspirava a fazer, ela continuava a caçoar de Deus…O que eu fiz? Me afastei dela! Na maior discrição fui me distanciando, fui na verdade resguardando a mim e a esta pessoas de cair em erros maiores! Eu de cair em erros que esta pessoa me inspirava, e esta pessoa de continuar a pecar contra Deus!
Para sermos mais de Deus é preciso que também revejamos com quem temos andado!
3o Passo: Preciso rever as roupas que tenho usado!
E como isso mostra quem de fato somos! O nosso modo de vestir precisa sempre revelar a beleza do Criador!
Mas é incrível como nos últimos anos as roupas que se tem usado tem refletido qualquer outra coisa, menos a beleza de Deus!
Os jovens usando roupas cada vez mais curtas, decotes cada vez maiores, roupas que só faltam lhes tirar o ar de tão apertadas e justas que são! E aí me pergunto: Para que isso? Qual a intenção deles?
Talvez eu tivesse milhares de respostas para essa pergunta, desde uma uma carência afetiva que acaba por transferi-lá no modo de se vestir, até mesmo a malícia e o desejo de seduzir a outra pessoa!
A questão é: O nosso modo de vestir também revela quem somos e o que queremos ser!
Como é bonito ver uma moça ou rapaz, sóbrios em suas maneiras de se vestir! Uma roupa que condiz com aquilo que são, com aquilo que querem! Não precisam expor os seus corpos para chamar a atenção, mas chamam a atenção exatamente porque são diferentes na suas escolhas por causa de Deus!
Quantas pessoas podemos olhar que nos chama a atenção e nem mesmo sabemos porquê?! Confesso que antes de começar a namorar a Jennifer, que hoje é minha esposa, quando a vi pela primeira vez, algo muito além do que a aparência dela me chamou a atenção! Apesar dela ser linda por natureza,.quando a conheci algo me chamou a atenção, e nao foram as roupas que ela usava – até mesmo porque conheci ela com um uniforme que usávamos em um empresa de cinemas na qual trabalhávamos, e este uniforme era muito feio – Mas ela era diferente, o modo de ser, de se portar, e foi isso que mais me chamou a atenção!
E talvez existam moças que possam estar lendo este artigo agora, e que estão sofrendo porque não conseguem arrumar um namorado, levar um relacionamento a sério. Talvez seja o momento também de rever como voce tem se vestido, e fazer com que a sua opção por Deus e o seu ser de Deus apareçam mais que suas roupas…
Portanto é o momento de se rever como temos nos vestido…
E diante destes 3 pequenos passo que dei acima voce pode estar se perguntando:
– O que isso tudo tem haver com a tematica deste BLOG?
Eu lhe respondo que tem tudo haver! Pois o nosso comportamento sempre mostrará ao Mal, ao Demônio aquilo que ele pode ou não em nossas vidas! Não existe força contrária maior ao Demônio do que PERTENCER à Deus! Não existe armas maios fortes contro o MAL do que um comportamento integro e correto, e isso porque decidimos sermos de Deus e mostrarmos as pessoas que Deus existe!
Se você já experimentou que ser diferente faz a diferença, deixe o seu comentário no final deste artigo, quem sabe alguém precisa “ler” o que Deus fez em sua vida!
Deus abençoe sua luta!
Coragem…
Deus abençoe voce!

Danilo Geraldo - Canção Nova
www.cancaonova.com


terça-feira, 24 de março de 2015


A paixão de Cristo é a narrativa do calvário de Jesus desde o momento em que ele é preso no Monte das Oliveiras, após a realização da última ceia com os apóstolos, até a sua morte na cruz. Na mesma noite em que é preso sob ordem de Caifás, o sumo sacerdote e maior autoridade do povo judeu, Ele é julgado de forma sumária pelo Sinédrio, conselho dos anciões e suprema corte judaica. Acusado de blasfemo por se apresentar como o Rei de Israel, Jesus é condenado à morte. Como a região da Judéia estava sob domínio do Império Romano, caberia a Pôncio Pilatos, autoridade máxima romana na região, aplicar a punição. Pilatos ofereceu a possibilidade de suspensão da condenação de Jesus, mas a multidão que estava no local incitada pelos sacerdotes preferiu que a liberdade fosse dada a Barrabás, um ladrão e assassino também condenado à morte.

A partir da sentença proferida de forma definitiva por Pilatos, Jesus teria passado pelos flagelos que os romanos impunham aos condenados. Entre eles, ser açoitado pelo flagellum taxillatum (espécie de chicote com três ramais que terminavam em bolas de metal com relevos e unidas por arame) e carregar até o local da crucificação a trave horizontal da cruz. A paixão de Cristo é principalmente essa passagem das últimas horas da vida de Jesus, da última ceia até a sua morte na cruz, quando seu sofrimento teria sido uma prova de sua doação total e incondicional para redimir os pecados da humanidade, segundo os preceitos da Igreja Católica.

"Libertou então Barrabás, mandou açoitar Jesus e lho entregou para ser crucificado. Os soldados do governador conduziram Jesus para o pretório e rodearam-no com todo o pelotão. Arrancaram-lhe as vestes e colocaram-lhe um manto escarlate. Depois, trançaram uma coroa de espinhos, meteram-lha na cabeça e puseram-lhe na mão uma vara. Dobrando os joelhos diante dele, diziam com escárnio: Salve, rei dos judeus! Cuspiam-lhe no rosto e, tomando da vara, davam-lhe golpes na cabeça. Depois de escarnecerem dele, tiraram-lhe o manto e entregaram-lhe as vestes. Em seguida, levaram-no para o crucificar. Saindo, encontraram um homem de Cirene, chamado Simão, a quem obrigaram a levar a cruz de Jesus. Chegaram ao lugar chamado Gólgota, isto é, lugar do crânio. Deram-lhe de beber vinho misturado com fel. Ele provou, mas se recusou a beber. Depois de o haverem crucificado, dividiram suas vestes entre si, tirando a sorte. Cumpriu-se assim a profecia do profeta: Repartiram entre si minhas vestes e sobre meu manto lançaram a sorte (Sl 21,19). Sentaram-se e montaram guarda. Por cima de sua cabeça penduraram um escrito trazendo o motivo de sua crucificação: Este é Jesus, o rei dos judeus" (São Mateus 27,26-37).

Fonte: www.cancaonova.com


N.Sra. das Graças

N.Sra. das Graças
Derramai todas as graças necessárias para nossas vidas !

Curta nossa Página !

Solidariedade

Tecnologia do Blogger.

CF2015

Missão Nova Visão, Levando LUZ onde se encontra escuridão !

COMPRE JÁ !

COMPRE JÁ !
CD Mesmo Olhar - Adriano do Nascimento

Receba Nossas Matérias !

Cadastre seu E-mail e Receba nossas Notícias e Novidades!


Nova Visão

Deixe um Recadinho

De Olho no Testemunho

De Olho na Dica - Filme

De Olho no Lançamento